A preservação da natureza é uma luta da Granado. Saiba como preservar também!

A preservação da natureza é uma luta da Granado. Saiba como preservar também!

Uma das principais preocupações da sociedade atual é melhorar a relação com a natureza e todas as formas de vida que ela abriga. Para isso, é necessário adotar novas estratégias de preservação e incluir no dia a dia alguns comportamentos mais alinhados com essa pauta.

Com o objetivo de esclarecer sobre a necessidade de olhar para os temas ambientais com mais seriedade, convidamos Afra Balazina para nos ajudar com algumas explicações sobre o assunto.

Ela é diretora de Mobilização da Fundação "SOS Mata Atlântica", uma ONG que existe há 35 anos e tem a missão de inspirar a sociedade na defesa do bioma ameaçado no país. Continue a leitura e confira!

Compreendendo a urgência da preservação da natureza

Afra explica que a Mata Atlântica abriga 60% dos animais em extinção do Brasil e ainda contribui diretamente para a atividade humana, via abastecimento de água, regulação do clima, agricultura, pesca, energia elétrica ou também pelo turismo.

Ela ainda explica que, atualmente, há apenas 12,4% da cobertura original da floresta, indicando a necessidade de monitorar e de recuperar essa região. A legislação é parte importante desse processo, mas a conscientização de toda população também se torna necessária para a restauração da floresta, valorização dos parques e das reservas, além de melhorar o uso da água.

Reconhecendo o papel do SOS Mata Atlântica sobre essa causa

A Fundação SOS Mata Atlântica é uma ONG ambiental brasileira que atua na promoção de políticas públicas para a conservação da Mata Atlântica e para evitar mudanças climáticas, desenvolvendo um papel fundamental em relação à sustentabilidade.

Segundo Afra Balazina, “a ONG trabalha no monitoramento do desmatamento, produção de estudos, projetos demonstrativos, diálogo com setores públicos e privados, aprimoramento da legislação ambiental, comunicação e engajamento da sociedade”.

Assim, o papel desempenhado pelo SOS Mata Atlântica é essencial para mobilizar pessoas e recursos a fim de gerar conhecimento e promover políticas públicas que estimulem ações em escala em prol da recuperação da floresta, além de valorizar parques, reservas e água limpa.

A ONG tem alguns projetos mais conhecidos: o Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica, responsável pelo monitoramento do bioma há 30 anos, e o Observando os Rios, que conta com uma rede de cerca de 3 mil voluntários em 17 estados do país que analisam a qualidade da água dos rios.

Além disso, há projetos lançados recentemente, como o estudo inédito sobre as emissões de gases estufa da Mata Atlântica, que ocorreu em 2021. Portanto, por meio das ações da ONG, há um aumento da responsabilidade ambiental por parte dos indivíduos e, consequentemente, aumento na preservação de recursos naturais tão importantes.

Desmistificando a ideia de que pequenos atos não fazem diferença

Desde pequenos somos condicionados a acreditar que as pequenas atitudes, em especial as individuais, não causam nenhum impacto. Mas isso não é verdade. A partir de pequenas ações, é possível alcançar grandes mudanças. Por exemplo, imagine que cada um fizesse a própria parte e descartasse o lixo em um local adequado.

Com esse simples ato, já não haveria acumulação de resíduos em lugares indevidos, causando impactos negativos à sociedade. Assim, com as mudanças individuais, é possível obter bons resultados.

De acordo com Afra, "podemos, por exemplo, compartilhar informações de qualidade sobre preservação ambiental, plantar árvores, fazer doações a instituições que atuam com conservação e restauração florestal, atuar como voluntário de uma causa e denunciar irregularidades, como o desmatamento e a caça, apoiando órgãos ambientais. Outra maneira é promover o turismo de natureza. As pessoas também podem apoiar organizações do terceiro setor e a coletivos ambientais”.

Descobrindo o poder individual sobre causas ligadas à preservação da natureza

Conforme dados da SVB (Sociedade Vegetariana Brasileira), a campanha Segunda Sem Carne contribuiu para uma redução de emissões de gases provocada por um carro comum num deslocamento de 100 km e economizou a água necessária para cerca de 26 banhos de 15 minutos por conta da redução do consumo de produtos de origem animal motivada pela campanha.

Desse modo, Afra indica a importância de fazer boas escolhas quanto à alimentação, aumentando o bem-estar “se escolhermos alimentos orgânicos, estamos contribuindo para evitar o uso de agrotóxicos, que também podem prejudicar o solo e os rios”.

Outro ponto de destaque se refere aos hábitos de consumo. O ato de consumir afeta diretamente o meio ambiente e, quando se consome produtos de empresas sem responsabilidade ambiental, você também contribui para a manutenção de um mercado que emite poluição, faz testes em animais e não está alinhado a qualquer objetivo em favor da sociedade.

Por isso, a especialista destaca que “o ideal é pesquisar e optar por empresas que não tenham histórico de danos ambientais ou desrespeito aos direitos humanos e trabalhistas, além de escolher aquelas que utilizem menos embalagens”. Tais escolhas fazem uma grande diferença na relação de toda sociedade com o meio ambiente.

Entendendo quais são as melhores estratégias para preservar a natureza

Para que o mundo seja um lugar melhor para se viver, é importante adotar algumas estratégias de preservação da natureza e frear a degradação ambiental que ocorre há décadas. O primeiro passo necessário é a aquisição de consciência do que o comportamento humano pode gerar.

Afra aponta que “é preciso que tomemos consciência de que o comportamento humano é capaz de promover outros fenômenos naturais extremos, bem como pode ajudar a evitá-los e até a mitigá-los. A responsabilidade está em nossas mãos".

Para isso, é preciso apoiar instituições que lutam pela preservação da natureza, combater as ‘fake news’ que atrapalham essa missão e adotar atitudes conscientes. Tudo isso faz toda a diferença em prol da conservação do meio ambiente.

Compreendendo a contribuição da Granado para a preservação da fauna e flora

Ao incluir produtos como os itens da linha Terrapeutics em seus cuidados diários, você contribui para o desenvolvimento de um mercado com grande responsabilidade ambiental e engajamento com a preservação de todas as formas de vida do planeta.

Além disso, tais itens são desenvolvidos com fórmulas veganas e livres de qualquer teste em animais. Desse modo, você consegue manter sua pele saudável e obtém todos os benefícios que produtos livres de componentes químicos agressivos podem oferecer.

Ao incluir pequenas mudanças no seu dia a dia, você consegue criar uma rotina com mais responsabilidade ambiental. Adotar uma nova postura de consumo e buscar empresas que se comprometam com as pautas ambientais, como a Granado, é indispensável para desenvolver uma relação mais harmoniosa entre a sociedade e o planeta.

Gostou do nosso artigo? Então, comece agora mesmo a fazer novas escolhas e confira a nova linha de produtos Granado desenvolvida com base no respeito e proteção à Mata Atlântica!

Carregando...
201 visualização(ões)

Colaborou para este conteúdo

Granado Pharmácias
Granado Pharmácias

Fundada em 1870 pelo português José Antonio Coxito Granado, no coração do Rio de Janeiro, Granado é a botica e a perfumaria mais tradicional do Brasil. Com mais de 150 anos de história, a marca recebeu o título de "Farmácia Oficial da Família Imperial do Brasil" pelo imperador do Brasil, Dom Pedro II. Incorporando extratos de plantas e ervas da exuberante biodiversidade brasileira, e com um profundo conhecimento das propriedades das plantas medicinais e óleos essenciais, a Granado desenvolve os cuidados de pele e fragrâncias combinando naturalidade, preservação do ambiente natural e inovação.

Comentários
Deixe o seu comentário
Seu endereço de e-mail não será publicado