Barreira cutânea: o que é, qual a importância e como protegê-la?

Barreira cutânea: o que é, qual a importância e como protegê-la?
Publicado em: Bem-estar

A barreira cutânea precisa ser protegida porque é responsável por manter a hidratação natural e a saúde da pele

Você sabia que a nossa pele tem uma espécie de escudo protetor natural? Ele é chamado de barreira cutânea e tem um papel muito importante para preservar, entre outros fatores, a boa saúde da pele.

Apesar da sua alta eficiência, esse escudo não é inviolável. Existem alguns fatores que podem agredir a barreira cutânea e aumentar a suscetibilidade da pele a problemas como alergias e desidratação. Assim, precisamos cuidar bem dessa proteção natural.

Para descobrir como fazer isso, pedimos a ajuda da dermatologista Katleen da Cruz Conceição, especialista pela SBD, preceptora do Ambulatório de Dermatologia da pele negra do Instituto Rubem David Azulay e chefe do setor pioneiro de dermatologia para pele negra do Grupo Paula Bellotti.

Ela explicou tudo sobre a barreira cutânea e como garantir que essa proteção se mantenha preservada.

O que é barreira cutânea?

Katleen explica que a barreira cutânea é uma camada localizada sobre a epiderme. Ela é constituída por gorduras, em sua maioria ceramidas, e tem a função de proteger a pele, preservando a sua hidratação e saúde.

Essa barreira, como explicamos, forma um escudo protetor que evita agressões do meio externo que poderiam causar infecções ou irritações. Ela também mantém o pH da pele levemente ácido, o que é possível em função das substâncias que a compõem: além das ceramidas, ésteres de colesterol, ácidos graxos e ácido linoleico.

Qual é a importância de manter a barreira cutânea preservada?

Nem sempre nos damos conta, mas existem diversos fatores e agentes que atuam em conjunto para garantir que a nossa pele esteja sempre saudável. Quando ela está bem protegida, evitamos impactos negativos para a saúde orgânica de um modo geral.

Em nossa pele vivem alguns micro-organismos. Eles formam um microbioma que mantém a proteção natural contra agentes agressores externos, atuando como um potente mecanismo de defesa para o nosso organismo.

Manter a barreira cutânea protegida é fundamental, como dito, para evitar a ocorrência de doenças de pele e as manifestações alérgicas. Mas esse escudo protetor vai, ainda, garantir a hidratação do organismo como um todo. Afinal, por meio da pele nós perdemos bastante água, então, conseguimos manter a temperatura corporal em equilíbrio.

Quais sinais indicam que a barreira cutânea está danificada?

Quando a barreira cutânea está intacta, podemos visivelmente perceber que a pele está saudável. Ela se mostra uniforme, macia e sem qualquer sintoma de alergias, irritações ou outros problemas.

Por essas características fica mais fácil descobrir se esse escudo protetor foi danificado, pois ele cuida da saúde e, ao mesmo tempo, mantém o bom aspecto da pele.

Podemos saber que a barreira cutânea está comprometida quando a pele apresenta algum tipo de irritação, coceira ou vermelhidão. Até mesmo a formação de espinhas pode ser um indício de quebra dessa barreira protetora.

Como a pele está ficando desidratada pela perda de água, outro sintoma característico da quebra da barreira é o ressecamento e a descamação. Algumas pessoas sentem, também, a pele mais sensível e com ardência.

Como proteger essa barreira natural?

Um agente tão importante para garantir uma pele saudável requer um cuidado especial, certo? A dermatologista faz algumas recomendações para garantir que a barreira cutânea esteja sempre protegida e cumprindo bem o seu papel.

Proteger a pele do sol

Apesar de o sol trazer os seus benefícios para a saúde, inclusive da pele, ele também pode atuar como um grande vilão por causa do excesso de radiação. Portanto, a melhor alternativa é promover a proteção contra os raios solares.

A maneira mais eficaz de proteger a pele da radiação solar é utilizando o protetor todos os dias, inclusive quando o tempo estiver nublado. O produto deve ser aplicado em todas as partes que ficarão expostas e reaplicado conforme a instrução do fabricante.

Vale utilizar outros meios para se proteger, como permanecer à sombra, usar óculos, chapéu e optar por peças de roupa com proteção UV. Mas lembramos que ainda assim cada pedaço de pele que ficar exposto precisa ser protegido com filtro solar.

Evitar água muito quente

Muita gente é adepta dos banhos quentes, em especial durante os dias mais frios do ano. Entretanto, mesmo quando a temperatura está mais baixa, o ideal é que o banho seja sempre morno, entre 27 e 30°C, e tenha uma curta duração.

A água muito quente traz diversos prejuízos para a pele, começando pelo fato de que ela pode agravar os quadros de dermatite por alterar a barreira cutânea. Outro efeito negativo é a ocorrência de desidratação, que faz com que as glândulas sebáceas produzam mais óleo, fator que favorece a formação dos cravos e das espinhas.

Não usar esfoliantes muito abrasivos

A função dos esfoliantes é promover uma abrasão na pele, mas ela precisa ser suave. Tenha cuidado na hora de escolher esses produtos para não optar por aqueles com alto grau de abrasão, o que pode quebrar a proteção da barreira cutânea.

Outro fator importante é a frequência de uso do esfoliante. O ideal é que a esfoliação no rosto seja feita apenas uma vez por semana, já no corpo ela pode acontecer de duas a três vezes, em especial nas áreas ressecadas da pele e naquelas com maior propensão para a foliculite.

Hidratar todos os dias

Segundo Katleen, a hidratação da pele começa ainda durante o banho. Ela recomenda a utilização de sabonetes suaves e com agentes hidratantes para manter a umidade natural da pele. Isso somado a um banho morno ajuda muito a preservar a barreira cutânea, mas não podemos parar por aí.

Depois da limpeza da pele, é fundamental a aplicação de um creme ou loção hidratante. Esse produto vai reforçar a camada de proteção, ajudando a fortalecer o nosso escudo protetor natural e mantendo ainda mais a hidratação.

Optar por bons produtos

Os produtos que utilizamos para os cuidados com a pele favorecem ou prejudicam a barreira cutânea. Por isso, é preciso ter cuidado na hora de escolher, dando sempre preferência para aqueles de boa qualidade.

Um bom produto contém ativos que promovem a proteção da pele e ajudam a manter o seu pH regulado. Para hidratar, por exemplo, a dermatologista recomenda formulações que contenham ceramidas e lipídios.

Também vale escolher produtos livres de parabenos, corantes, e que sejam fabricados à base de extratos vegetais. Eles limpam e protegem a pele sem provocar agressões, respeitando suas características naturais. Tudo isso você encontra nos produtos da linha Granado.

São opções completas para os cuidados diários com a sua pele, totalmente livres de ingredientes de origem animal, que trazem ativos com alta ação hidratante para proteger a barreira cutânea do jeito que você precisa.

Não se esqueça de que os produtos precisam ser escolhidos de acordo com o seu tipo de pele. Assim, você alcança um resultado ainda melhor, conquistando mais saúde e bem-estar.

Então, não se esqueça: a barreira cutânea existe e precisa ser preservada porque ela tem um papel fundamental na saúde da sua pele. Usar bons produtos de acordo com as suas necessidades e características vai contribuir ainda mais para ter uma pele saudável e bonita.

Conheça a linha de produtos Granado. Entre em contato com a gente para conferir as opções e montar um kit completo para cuidar da sua pele do jeito certo!

Carregando...
1434 visualização(ões)

Colaborou para este conteúdo

Dra. Katleen Conceição
Dra. Katleen Conceição

Katleen Conceição é médica com Pós-graduação em dermatologia e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia do Rio de Janeiro. Especializada em pele negra, Katleen é chefe do Ambulatório de dermatologia para pele negra na Santa Casa de Misericórdia, no Rio, chefe do primeiro setor de dermatologia para pele negra no Grupo Paula Belotti e membro da Skin of Color Society, dos EUA.

Comentários
Deixe o seu comentário
Seu endereço de e-mail não será publicado